SUPERAÇÃO COMO FILOSOFIA DE VIDA

SUPERAÇÃO COMO FILOSOFIA DE VIDA

Sempre pensei que, se eu tivesse uma doença grave, não saberia lidar com isso. Certo dia, fui ao médico e ele pediu-me alguns exames. E pronto, o diagnóstico estava diante dos meus olhos.

A minha primeira reação foi perguntar ao médico, o que eu devia fazer e não ficar em pânico. Esta foi a situação mais traumatizante que vivi até hoje, mas ao mesmo tempo, o meu maior desafio de vida.

Perante situações com esta, vemo-nos no cimo de um abismo. Olhamos para o fundo e também para cima, e num sentimento ambíguo de sensações e emoções, aparece a pergunta essencial: queres mergulhar no abismo ou voar?

A minha escolha foi bater asas em direção à minha cura, carregando comigo a minha dor e os meus constrangimentos. Outrora, ouvi alguém dizer que “é no veneno que podemos encontrar o antídoto” e esta passou a ser minha filosofia de vida.

O caminho percorrido não foi fácil. Tive que ir ao fundo de mim e descobrir o herói que todos nós trazemos na alma. Falei com ele e ambos percorremos os labirintos da vida.

Todos nós temos os nossos medos e as nossas inseguranças, mas são esses sentimentos que nos impulsionam, nos ensinam a lidar com as dificuldades e nos fazem sentir a dignidade de viver.

Foi isso que aconteceu comigo. Eu confrontei-me com a dificuldade. Fiquei com medo, como qualquer ser humano. Mas eu superei-a, porque eu não tinha outra escolha para sobreviver.
Hoje estou curado e posso dizer: Viver não é nada, voltar a viver é tudo.

Porém, agora eu aprendi: as situações difíceis ajudam-nos a crescer e a evoluir. Sempre ouvi dizer que “marés calmas não fazem bons marinheiros”.

E quanto a si? Quais são os seus medos? Já superou algum deles?

Reflita sobre o assunto e dê o primeiro passo em direção a uma vida plena e com sentido.

Deixe uma resposta