VIVER NO PRESENTE! COMO É?

VIVER NO PRESENTE! COMO É?

O tempo é para mim um grande mistério. Santo Agostinho, em Confissões – Livro Décimo Primeiro, O Homem e o Tempo, falou dele. Diz que “se nada se passasse não existiria tempo passado, se não acontecesse coisa alguma não existiria tempo futuro, se nada existisse não haveria tempo presente”. Mais á frente acrescenta: “Mas estes dois tempos, o passado e o futuro, como é que existem, uma vez que o passado já não é, e o futuro não é ainda? O próprio presente, se fosse sempre presente, sem se perder no passado, já não seria tempo, seria eternidade”

Deu para perceber? Mais ou menos.

Independentemente das considerações filosóficas de Santo Agostinho ou de outros filósofos, o que é certo é que só conseguimos viver num único tempo: o tempo presente.

O mesmo é dizer: viver no aqui e agora. Peço-lhe para fechar os olhos e a imaginar-se a respirar… há uma semana atrás, ou então… daqui a três dias. Faça um pequeno esforço. Não é possível, não é?

Vivemos num único tempo: no tempo presente, no aqui e agora. Fora deste contexto é impossível viver.

Como seria bom para a nossa qualidade de vida se entendêssemos, realmente, este conhecimento? De que forma o podemos utilizar a nosso favor?

Vou contar-lhe uma pequena história. Certo dia um homem procurou um grande mestre espiritual, pois queria ser feliz toda a vida. O mestre falou com ele e, numa voz serena e reconfortante, disse-lhe: “Homem, você está a exigir muito de si. Vou dar-lhe um conselho: “seja feliz, apenas hoje, e esqueça o resto”. Assim fez, retomou a sua vida e partiu de regresso a casa. O conselho que o mestre espiritual lhe deu soube-lhe a pouco. No outro dia, o homem acordou e lembrou-se logo do conselho recebido: “seja feliz, apenas hoje, e esqueça o resto”. Após refletir melhor sobre o que tinha ouvido do mestre, compreendeu finalmente que ele tinha razão.

A nossa “felicidade” está á porta da nossa casa, no aqui e agora. No hoje, não no ontem nem no amanhã.

Cada momento da sua vida é único e irrepetível. Viva-o como fosse o último da sua vida. E não se esqueça: “seja feliz, apenas hoje, e esqueça o resto”.

Deixe uma resposta